35o. Encontro de Tenistas – ATPanga

Encontro de Tenistas ATPanga

Aconteceu no sábado 09/07 mais um encontro de tenistas ATPanga. O nome do encontro é uma tiração de sarro entre os próprios jogadores, fazendo uma alusão ao praticante “pangaré”, aquele que não joga lá aquelas coisas. Uma brincadeira que acabou pegando. O evento que acontece desde 14 de novembro de 2009 fortaleceu uma improvável amizade entre muitos participantes. Improvável porque todos se conheciam apenas virtualmente como leitores e comentaristas do movimentado Blog do Paulo Cleto . A frequência era tanta que havia algo diferente naquele espaço. O próprio P. Cleto dizia nas transmissões de tênis na ESPN que o blog era orgânico pois tinha vida própria, ele escrevia os posts e a partir do assunto central a coisa viajava para vários caminhos e os frequentadores interagiam entre si e a coisa foi tomando forma, até que tiveram a ideia de se conhecerem pessoalmente. E ao contrário do que muitos possam imaginar a coisa funcionou, mesmo com a dificuldade de que muitos tinham por conta de deslocamento, já que tinha gente de todos os cantos do país. Decidiram fazer o encontro em São Paulo, no Yacht Clube Paulista, tradicional clube fundado em 1932.  Já são quase 7 anos que o evento acontece e a coisa engrenou de tal maneira que hoje em dia, muitas amizades brotaram da li. Atualmente muitos se falam quase que diariamente, jogam nos mesmos torneios, e até se encontram pelos torneios da ATP em diversos países.

Paulo Cleto só pra variar, faz uma bela narração com seu estilo virtuoso de como foi o primeiro encontro,  lá em 2009. Clique no post  Sábado na represa e confira.

E essa bonita e interessante história aguçou a curiosidade do TenistasEmAção em querer mais informações. E assim fomos até esses tenistas/leitores/comentaristas para saber como tudo isso começou, e então lançamos a seguinte pergunta: O que te motivou a acessar o Blog do Paulo Cleto? Confira abaixo alguns dos depoimentos:

Chris Ramalho – Eu fui bater lá depois de ouvir o Cleto na TV, mencionando o blog. Pronto, não saí mais! Lembro até hoje a primeira pessoa que interagiu comigo. E a primeira pessoa do blog que eu conheci foi o Tácito Albuquerque.

 

Alexandre Lima – Cheguei no blog pelo merchand do Paulo nas transmissões. Eu entrava no site pra ver as postagens do Cleto e dava uma sapeada nos comments. Um dia resolvi soltar um comentário lá pra ver se alguém de Sampa toparia bater uma bola comigo. Aí o Barão (Flávio B.) apareceu, me incluiu no grupo e jogou 3 sets comigo. Num sei, só sei que foi assim… rsrsrs.

 

Ignácio – Eu descobri o blog ao ler notícias sobre tênis no site de esportes do IG.

 

Tácito Albuquerque – Minha história com o blog é a mesma da Chris Ramalho, assistindo as transmissões pela ESPN e os comentários do Cleto sobre o blog me levaram pra lá e logo fui pescado pelo Flávio B. que me incluiu no grupo, por sinal sempre vibrei com essa turma. A Chris foi a primeira que conheci, em Sauípe no Brasil Open, amor a primeira vista.

 

Luciana Linhares (LuA) – Eu e Matheus costumamos assistir a jogos juntos, de qualquer esporte. E, claro, como o Tênis sempre foi um dos meus esportes prediletos, assistíamos muitos torneios pela ESPN. O Paulo Cleto e o Marco Antônio eram os meus prediletos em transmissões do Tênis. Frequentemente, eu comentava ou perguntava algo ao Matheus e o Cleto comentava e respondia justamente o que eu havia acabado de falar. O Matheus algumas vezes chegava a dizer: “não é possível! Isso deve ser uma gravação e você assistiu antes”. Ele conferia, constatava que era ao vivo e emendava: “entra lá no blog dele. Você adora Tênis e eu gosto quando você escreve sobre algum assunto”. Eu dizia: “eu adoro esse Paulo Cleto, mas tem uma coisa que eu não suporto nele é ele falar a cada 5 min. para acessarmos o blog dele”. Eu tinha uma certa birra com textos publicados na Internet, pois ainda sou daquelas que prefere folhear um livro. Resolvi, com a insistência do Matheus, constatar como o Paulo Cleto escrevia. Não preciso dizer que amei! Eu curto um jeito sarcástico sutil na escrita, analogias e informações que fogem ao padrão “matéria de Internet”, com cunho pessoal quando necessário e instigante quando cabível. Tempos depois passei a ler os comentários, e gostava de alguns e detestava outros como qualquer outra libriana. Um destes dias acessando, estava com o notebook na cama e lendo com o Matheus e ele pediu: “escreva algo, faz tempo você não escreve algo que eu possa ler”. Escrevi. A primeira pessoa que interagiu comigo foi o próprio Paulo Cleto, ele gostou do que eu havia publicado e perguntou se eu tinha caído do Céu ou da Lua no blog.

 

Flávio B. – Eu era leitor do Cleto no Jornal da Tarde, então o blog foi praticamente uma sequência.

 

Highlights do Encontro

 

 

Fotos da Galera